Mente crônica

"Mas não se deixe enganar por essa incoerência intencional..."

29 de setembro de 2015

 

Expulso de casa

 

por Rivo Simões

 

Semana passada um conhecido meu foi expulso de casa pelos pais ao ficarem sabendo que ele é gay.

 

O que mais me chamou atenção foi o fato de o pai ter tomado o celular dele e ter dito que só devolveria depois que ele arrumasse um emprego.

 

Oi?

 

A punição ocorre por um motivo e a revogação da punição, por outro que não é a cessação do primeiro. Confuso? Tomo seu picolé porque você bateu na sua irmã e o devolvo se você pedir desculpa. Normal né? Agora, tomo seu picolé porque você bateu na sua irmã e o devolvo se você se sentar pra estudar. Sentiu a injustiça na falta de correlação entre as ações? Chamo isso de atitudes incoerentes!

 

Mas pior que isso é quando você tenta justificar em você a incoerência alheia e começa a fazer relações que não existem, como: Então sou gay porque não trabalho? Então ser gay é ser vagabundo? Se eu trabalhar vou deixar de ser gay?

 

É exatamente essa a intenção do incoerente, que nesse caso não é tão incoerente assim, eu diria: maquiavélico, puramente calculista.

 

Com os meios facilitados de acesso à informação e com a ampliação da ideia e do gozo da liberdade (direito fundamental), fica cada vez mais difícil a imposição de ideias, quaisquer que sejam elas, então, fechar o cerco é manipular sorrateiramente o seu pensamento, isto é, fazer acreditar é muito mais eficiente do que obrigar.

 

Mas não se deixe enganar por essa incoerência intencional, seja crítico, arrume um emprego, compre outro celular e deixe o velho com o seu pai. Quem sabe ele se liga?!

 

 

Rivo Simões

É advogado graduado em direito pelo

Centro de Ensino Universitário do Maranhão.

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Instagram Social Icon

@compostamente

\compostamente