Mente poética

A  RAIVA/REVOLTA

10 de maio de 2016

 

A RAIVA

 

A raiva é um sentimento duvidoso. Ao mesmo tempo que é

prejudicial serve como força para seguirmos adiante.

Ela serve de força quando é contra um obstáculo, e serve

como combustível para que alcancemos nosso objetivo.

É prejudicial quando passa do lado sentimental para o lado físico.

Quando sai das agressões verbais e vai para as agressões físicas.

Nesse momento são perdidos totalmente a razão e o raciocínio.

O exemplo seria o que vimos nas olimpíadas.

Pudemos observar uma expressão

de raiva no rosto dos atletas quando se aproxima o

início de mais um desafio.

Essa raiva funciona como combustível para leva-los adiante.

Nesse caso ela é muito positiva, o atleta fica tomado de raiva

pelo desafio e impõe a si mesmo quebrar o próprio

limite e vencer mais uma etapa.

Quando eu era adolescente a raiva me motivou

a ir à luta, fazendo com que eu procurasse uma ocupação

me trazendo então a independência financeira

que possibilitou comprar meu carro, realizar desejos.

Hoje já não estou mais revoltado como antigamente.

Carrego dentro de mim a raiva contra as dificuldades,

me ajudando a superá-las.

 

 

 

 

 

 

 

REVOLTA?!

 

Jamais!

Foi preciso que um acidente calasse temporariamente a minha voz;

foi preciso, acidentalmente, parar de falar e cantar para... escrever.

A Consciência Vigilante nos ensina muitas coisas.

E uma delas é amar a Vida.

Porque em verdade nós somos esta Vida;

nós todos somos este milagre, esta coisa maravilhosa!

E como é bom levantar de noite ir ao banheiro fazer xixi na madrugada,

depois ir até a cozinha, abrir a geladeira,

pegar a garrafa com água, depois o copo no armário sobre a pia.

Como é bom voltar a fazer sozinho estas coisas tão simples!

Graças a Deus!

Louvados sejam todos os Santos e Profetas!

LOUVADO SEJA OXALÁ:

NOSSO SENHOR DO BONFIM – JESUS CRISTO!

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Instagram Social Icon

@compostamente

\compostamente